Escritora de textos que expressam o Cotidiano & Seus Clichês, que acometem à todos nós.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

"...Em última instância, será como é e sempre foi: as grandes coisas ficam para os grandes, os abismos para os profundos, as branduras e os tremores para os sutis e, em resumo, as coisas raras para os raros." Friedrich Nietzsche



Lendo isso, me veio na mente a fraqueza a que nos submetemos algumas vezes.
Quantas vezes, nós estamos nas situações dos "grandes", dos "profundos", dos "sutis" e dos "raros"? E para cada uma dessas vezes, não nos damos os respectivos valores...temos a vantagem de mudarmos o que somos à cada dia, transformando velhos tabus em apenas coisas a que fomos um tempo atrás, temos a chance de deletar certos paradigmas que viemos à alimentar e tudo se faz diferente, novo!  Em última instância...temos sempre a dádiva de mudar, de ousar de não permanecer os mesmos.

Um comentário: