Escritora de textos que expressam o Cotidiano & Seus Clichês, que acometem à todos nós.

sábado, 6 de dezembro de 2014

Calma, Amor!

Oi Amor!
Não é nada de menos não, calma! Tá tudo bem sim, é que eu senti necessidade de me abrir, de te dizer o que tenho pensado, o que venho sonhando.
Sei lá, é tudo tão imenso que tem horas em que eu não sei direito se cabe mesmo, se é desse tamanho mesmo todo esse sentimento! Meu Deus! É maior do que eu conseguiria te dizer, acho que não existem palavras ainda, que possam comportar todo significado embutido no verbo amar.
Eu não posso suportar a ideia, sequer imaginar que algo seria diferente, antes até de levantar, eu peço à Deus pra preservar nosso mundo, nossa relação, nossa ralação em levar essa vida.
Mas sabe que com isso tudo a gente se prova mais forte, a gente conhece um lado robusto que nunca pensávamos ter.
Quem diria, fruto do acaso, num fim de noite, uma vontade de conversar que acompanhava ambos, ficamos no "zero à zero", foi a conquista em doses homeopáticas, e uma paixão verdadeira, algo que vinha caminhando pro amor.
Opostos ou dispostos??? Os dois né?! 
Que sabor a gente tem nessa mistura, é a junção perfeita do que consideram impossível, o que importa são os planos cultivados de forma par, somos uma dupla incrível!
Ter a tua parceria nessa história de vida me faz querer uma infinidade de anos pra viver.
De coração, acredite! 
Não, não faz falta alguma qualquer outra pessoa, é nessa trilha sonora, nesse ritmo, com essa barba por fazer, nesse jeito caricato, nessa forma bruta de ser amor, de ser carinho que eu prefiro ficar.
É nesse braço estendido que eu gosto de adormecer.
E que a gente se baste mesmo quando eu não for mais útil pra você, que o significado de cada um de nós pro outro, se descubra alicerce desse amor.
Joany Talon

Nenhum comentário:

Postar um comentário